Em épocas de redes sociais e Fake News é até desleal dedicar apenas um dia no ano para falar sobre o assunto. Com tantas promessas tentadoras sobre alimentação, escolhi falar sobre a mais popular de todas: DIETA EMAGRECE!

Para começarmos a refletir sobre, peço licença para definir o que é uma dieta restritiva. Segundo o GENTA (Grupo Especializado em Nutrição, Transtornos Alimentares e Obesidade), dieta é um “Plano alimentar que possui regras rígidas (o que comer, o quanto comer, em qual horário) seguido por um determinado tempo com um intuito de perda de peso. Essas regras incluem a redução da quantidade de calorias que você consome, pular ou deixar de comer determinadas refeições, e evitar ou cortar determinados alimentos.” Aqui temos alguns exemplos: fazer jejum, cortar glúten (pão, macarrão, cerveja), carboidratos (arroz, batata, mandioca, pão, macarrão) ou lactose (leite, queijo, requeijão, iogurte) sempre com o objetivo de perda de peso.

Equilibrar as quantidades deixando de comer doce 3 vezes ao dia para comer 3-4 vezes na semana, é um equilíbrio, não uma restrição e essa combinação de frequência e quantidade precisa ser ajustada de acordo com cada um.

 

Agora que estamos alinhados com o termo, quantas dietas você já fez com o objetivo de perda de peso? Elas deram certo, foram sustentáveis (continua fazendo até hoje), você manteve sua vida social e era feliz?

Depois de alguns anos dando palestras dentro de grandes empresas em São Paulo, posso afirmar que DIETA = restrição, sofrimento, angústia, isolamento social, frustração e culpa. Todas as vezes que pergunto para as pessoas o que essa palavra representa, tenho unanimidade na resposta.

A cada 100 pessoas que começam uma nova dieta, apenas 5 têm sucesso. Ou seja, 5% das pessoas que fazem dieta conseguem um resultado positivo. 95% NÃO levam até o final e o período que fazem entram em um ciclo de culpa, restrição e sofrimento. E por que isso acontece?

A Jornalista Daiana Garbin, do canal no youtube “Eu vejo” que aborda com muita seriedade e competência o assunto, explica que hoje temos uma indústria de beleza, padrões e obesidade que lucra com o sofrimento das pessoas e constantemente vende produtos, shakes, serviços, comprimidos, tratamentos e fórmulas capazes de deixar você com os corpos que somos expostos a todo tempo nas redes sociais. Ou seja, tem alguém que vende esse “sucesso” da dieta para você.

E sabe por que a taxa de sucesso de uma dieta é tão pequena? Porque elas foram criadas para vender e não para você ter sucesso! Sophie Deram, Nutricionista especialista em neurociência do comportamento alimentar pela USP, ainda comenta no seu livro que para isso tem uma explicação científica: nosso corpo não entende que quando fazemos uma restrição, não estamos comendo de forma voluntária. Ele acha que aquela diminuição brusca de alimentos é uma escassez ou doença e começa a diminuir o que gastamos para economizar energia e a aumentar a nossa fome para que a gente compense aquela diminuição de calorias. Ou seja, o seu cérebro rejeita a dieta e você acha que quem fracassou foi você, quando na verdade nosso corpo não nos deixa perder mais peso.

Além disso, com tanta restrição, vezes ou outra explodimos em um episódio de compulsão e ao invés de comer 1 pedaço de bolo na festa e saborear, comemos 2 pedaços + vários docinhos (com culpa!) e ainda levamos para casa para comer mais. Neste momento, nosso corpo aproveita e guarda tudo o que pode.

Consegui dividir porque fazer dieta para emagrecer é uma “Fake News”?

Como essa indústria é muito lucrativa e não irá parar, todo dia temos uma “nova-dieta-ou-alimento-que-vai-emagrecer-e-resolver-todas-as-suas-questões-alimentares”. Neste caso, cabe a nós rejeitar esse tipo de produto ou serviço. Para identificar se é uma cilada, fique atento e desconfie da “receita-milagrosa” ou do “método-sensação” se ele:

  1. Prometer perder mais de 2 kgs por semana com métodos incomuns.
  2. Limitar as escolhas alimentares, proibindo grupos de alimento ao invés de promover um consumo variado e equilibrado.
  3. Instigar a gastar dinheiro com seminários, pílulas e refeições e shakes pré-formatados para que o sucesso ocorra.

E por fim, queria deixar uma frase brilhante que meu Professor da USP Prof. Dr. Lancha Junior compartilhou no seu livro o fim das dietas: “Se houvesse um regime milagroso capaz de emagrecer uma pessoa e preservá-la assim, a obesidade mundial não seguiria avançando nem veríamos tantas novas dietas aparecendo por aí”.

 

Agora que você entendeu por que não consegue terminar uma dieta (a culpa é dela, e não sua!), que tal se libertar das restrições? É possível comer bem de forma gostosa e variada e sem sofrimento. É possível ainda perder peso comendo de tudo!

Caso queira ter uma experiência diferente de alimentação, entre em contato conosco e surpreenda-se.

 

Por Nutricionista Alessandra Godoy

[re]descubra experiências e palestras na área de alimentação, saúde & bem-estar

www.agedu.com.br/palestras

www.linkedin.com/alessandragodoypalestrante