A natureza do ser humano é pessimista. Você conhece alguma pessoa que sempre olha o lado negativo da situação, sempre está procurando alguma coisa para falar mal e ficar perto desta pessoa é um grande desafio?

Em todas as situações da vida, é possível apontarmos defeitos, caso o foco que tenha sido colocado seja negativo. No nosso trabalho não é diferente. Quando fazemos isso de forma sistemática, é quase impossível enxergarmos o lado bom da vida. Entenda como olhar diferente (e de forma positiva) para sua carreira pode fazer diferença nos seus resultados.

  • Por que somos pessimistas?

Segundo o filósofo francês, Emmanuel Mounier, um homem que sofreu algumas decepções concebe um sistema pessimista do universo que o torna infeliz, mas prefere mantê-lo do que reconciliar-se com o mundo sobre um novo equilíbrio.

Imagina você abrir seu primeiro consultório e não conseguir muitos clientes. Você começa a divulgar para os amigos que está atendendo, conversa com um médico, tenta uma parceria com a academia ou consultoria de corrida do bairro e as indicações acontecem, mas os clientes não agendam a consulta. E, se agendam, não comparecem. Parece um cenário animador?

E por que então somos pessimistas? No cenário apresentado é mais fácil se colocar no lugar de vítima e reclamar da crise financeira, da carreira de nutrição, dos clientes (pacientes) que preferem ver o programa na TV ou seguir a blogueira à pagar uma consulta ou tomarmos a frente da situação e fazermos um novo cenário acontecer?

  • Responsabilidade x Vitimismo?

Érico Rocha, em seu livro sacadas de empreendedor, aborda de forma brilhante essa questão. Toda vez que reclamamos de alguma coisa, criamos um “fator externo” que é responsável pelas grandes desgraças em nossas vidas. É como se fosse uma “justificativa” para nossos insucessos ou dificuldades.

NESTE MOMENTO, PENSE EM ALGO QUE NÃO ESTÁ DANDO CERTO NO SEU TRABALHO.

Você conseguiu arranjar uma justificativa para seu problema? Você foi vítima dela? Agora faça uma segunda pergunta: “Se você não for vítima da situação, o que você pode ser?”

Sim! Você é o responsável! Não no sentido de culpado, mas no sentido de poder fazer alguma coisa a respeito. E quando você se posiciona desta maneira, você passa a assumir o poder da situação. Neste momento em diante você vai conseguir pensar como parte ativa de suas decisões, sair do papel de vítima e conseguir fazer alguma coisa para mudar as suas circunstâncias.

  •  Nós somos empresários da nossa carreira

Você já parou para pensar que nós somos empresários da nossa própria carreira e nunca foi nos dito isso durante nossa formação?

Nós temos um nome a construir, uma empresa a zelar. Nosso atendimento, nossa marca, nosso discurso, nosso conteúdo são pontos que fazem diferença e fará diferença para que a famosa “indicação boca-a-boca” aconteça.

 

 E como o otimismo melhora o meu atendimento?

Ter o poder da situação e ser ativo diante das situações que a vida nos coloca faz toda a diferença. Tanto de disposição, quanto de energia e de resultados. A reclamação e o vitimismo nos torna impotentes. Pouco provável que tenhamos resultados diferentes diante de uma atitude passiva.

Para finalizar, temos um desafio:

A: Identifique algo que não está indo tão bem na sua carreira.

B: Pense o que você está fazendo diante desta situação.

C: Pense como você pode fazer diferente.

D: Não reclame, enxergue novas oportunidades.

E: Coloque em prática! Nada vai adiantar os 4 passos anteriores se você não fizer este! É o mais desafiador, porém o mais essencial para a mudança e o sucesso.

pessoa que vai mudar sua vida espelho

O marketing pessoal e profissional é um dos tópicos abordados no Método Lancha – Curso de Coaching Nutricional. Quer saber mais e melhorar seu atendimento? Acompanhe nosso blog, facebook ou participe conosco da próxima turma da Certificação do Método Lancha – Coaching Nutricional.

Referências: Certificação do Método Lancha, (2015 -17); Érico Rocha (2016); Emmanuel Mounier (1930).